terça-feira, 4 de setembro de 2012

Trecho do Dia #5


"Sempre me senti muito sozinha. E quem não se sente assim? Gostei da minha solidão infantil. Amigos imaginários eram bem mais fiéis e divertidos do que as coleguinhas de jardim/primário. Quem precisa de um amigo vivo quando existe Peter Pan? Eu não era nem americana nem italiana. Minha brasilidade era contestada na escola francesa. Considerava-me uma ET e gostava de ser diferenciada em qualquer lugar que fosse. Já na minha adolescência, a solidão não foi legal. Eu queria encontrar um ET para namorar e trocar figurinhas. Minha solidão incomodava. Conheci alguns ETs, mas nenhum do meu planeta. Foi um tempo sofrido, cheio de desilusões. Namorei terráqueos diferentes, uns interessantes, outros não. Já os animais me aceitaram de cara. Que reino carinhoso. Sou uma Tarzã urbana.

O sofrimento humano eu sinto na pele, o sofrimento animal ate direto na alma... não entendo o reino animal como inferior ao humano... somos companheiros da mesma jornada de aprendizado... a raça humana não evoluirá enquanto não aprender a respeitar todas as formas de vida do planeta... somos os seres intermediários entre o reino divino e os reinos "abaixo" do nosso... temos responsabilidade total na manutenção da Nave Mãe Terra e todas as suas criaturas... tem gente que me diz: com tanta criança precisando de ajuda você fica aí se preocupando com os bichos... é pensando nas crianças do futuro que defendo os direitos dos animais hoje... tenho pavor de qualquer tipo de falta de educação... o abuso com animais é para a criança uma demonstração de como se tornar um adulto desinformado, precursores da involução a raça humana... nossa pretensão é chegar nas estrelas e estes desinformados são um problemão que temos pela frente... vejo crianças assistindo adultos bêbados dilacerando bichos vivos nas "farras do boi", e a exemplo deles, aplicando depois as táticas de torturas em animais de menor porte como gatos e cachorros, por exemplo... vejo apresentadoras de programas infantis distribuindo filhotes de coelhos vivos como se fossem chaveiros, promovendo eventos com crianças subindo nas costas de animais, emas por exemplo, que não são de montaria... vendendo produtos bregas feitos com peles de animais... uma falta de educação ecológica exemplar estes programecos infantis... vejo peões de boiadeiros, que no meu tempo domesticavam bichos com carinho e dedicação, enfiando cacos de vidro, cigarros acesos e pedaços de pau no cu dos bichos antes da porteira se abrir para a arena... os bichos não pulam daquele jeito porque são selvagens ou bravos... eles pulam de dor mesmo... e as crianças lá fantasiadas de cowboys... o rodeio é um lixo cultural americano, e ao contrário do futebol e do rock'n'roll, ambos de origem gringa também, o rodeio não se adaptou ao traquejo brasileiro... ao contrário, destruiu completamente a genuína festa caipira..."

Rita Lee mora ao lado - Uma biografia alucinada da rainha do rock, Henrique Bartsch

Um comentário:

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.